POESIAS

VOLTAR

Corvos, bebidas e corpos

Infinito obvio te aprisiona em jaulas
se nunca tem fim de que serviu a alma?
... calma
a morte é como o fim de todos os corpos
como o fim de todos os copos

e assim então não estaremos tão sóbrios
depois do fim o recomeço obvio
esse aqui é só o começo do meu proposito
é como eu ficar alimentando corvos
continuar cantando pra subir no pódio


Ícaro De S E S Autor Ícaro De S E S MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE