POESIAS

VOLTAR

Sopro contra o ardor

E lá estara ela, novamente intrigada com as incógnitas da vida, jamais resolvidas:
— Estrale os dedos.
Feito.
— Agora, assopre contra o vento.
Pronto.
— Estes poucos instantes foram suficientes para tantas pessoas perderem sua matéria sob sua'lma; e outras, (re)nascerem. Porque isto é a vida: um sopro perante as estalar dos dedos; o intervalo entre estes é o tempo em que perdemos tentando entender o que já nos é respondido sem resposta alguma.

Iasmim Rodriguez Autor Iasmim Rodriguez MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE