POESIAS

VOLTAR

DESLUMBRE

Quando duas línguas se tocam
O mundo de quem deseja o beijo
Torna-se oração perfeita

Sabores ardem sedentos
Nesse encontro de saliva e espasmos
Extraindo dos lábios molhados
Aceites inaudíveis das vozes dos hálitos

Da ternura única e efervescente
Todo perfume tateia o momento
Assistindo espargir pela sala do anseio
A dissimulada fome engolindo as palavras

Dado ser afoito intenso e místico
O espírito aguarda que o corpo entreveja
Pelos olhos fechados em êxtase
O deslumbre da língua quando beija

Paulo S Rosseto Autor Paulo S Rosseto MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE