POESIAS

VOLTAR

O amor coube

O amor coube ali
Numa cama pequena
Paciente, esperando tudo acabar
Naquele calor infernal.
O amor coube no riso silencioso
Na poesia que era lida nos olhos
Enquanto nossa falta de pressa
Morgava o ponteiro do relógio.
O amor também coube na saudade
E na vaidade de possuir o outro
No desconforto da despedida
E na necessidade de fazer de novo.

Henrique Brito Autor Henrique Brito MEU PERFIL
ENVIE POR E-MAIL
DENUNCIE